Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cozinhar com

Venez j'vais vous aider. On descend et hot c'est parti - Amélie Poulain

Cozinhar com (orégãos)

Em resposta ao desafio Receita Saudável do blogue Limited Edition

Para mim uma alimentação saudável requer que façamos boas escolhas e que haja bom senso. Boas escolhas no supermercado, bem como conscientes (nomeadamente em termos monetários) são o primeiro passo para adquirirmos uma alimentação saudável, equilibrada e barata, pois não tem que ser cara para ser saudável, nem tão pouco incluir os alimentos que estão na "moda". Sugiro que me recruteis para vossa personal shopper, mas em supermercados, I'll be your best friend, I promise (risos)!
Já com o bom senso refiro-me à capacidade de termos a consciência de que "abusar" daquilo que não nos faz tão bem à saúde não deve tornar-se um hábito, mas sim um acontecimento momentâneo. Serve também o bom senso, para nos consciencializarmos da existência de uma linha, muito ténue, que separa os nossos hábitos alimentares e o querer que os hábitos alimentares dos outros sejam, religiosamente iguais, aos nossos. Não, isso não deve acontecer! Individualidade é um dos segredos para contornar esse problema, e claro está, se desejarmos adaptar os nossos hábitos alimentares, que seja com informação devidamente fornecida por profissionais na área.

Conto-vos uma história pessoal para ilustrar o "como lidar corretamente com A linha". Quando faço os meus próprios cozinhados, quem me conhece e acompanha o blogue, já se apercebeu certamente que não utilizo sal em nada. Porquê? Curiosamente este hábito, agora regular, surgiu por acaso! Quando andava na faculdade, altura em que comecei a cozinhar, certo dia deparei-me com a falta de sal em casa e, no momento, por preguiça de o ir comprar, resolvi cozinhar sem. E não é que o sal não entrou mais na minha cozinha? Não foi preguicite crónica, mas sim, porque notei que não fazia falta ao meu paladar e que conseguia construir um sabor agradável através do uso especiarias e ervas aromáticas. Isto tudo para dizer que, apesar deste meu hábito, eu não exijo que cozinhem sem sal para mim nem tão pouco impinjo este hábito a quem me rodeia, apenas o aconselho (explicando os benefícios) e o dou a experimentar!
Se colar, colou! Se não colar, amigos à mesma!

 

Para dar continuidade ao raciocínio, a receita é de umas bolachas "salgadas" sem sal adicionado.

 

 

Ingredientes (rende cerca de 30 bolachas)

 

150 g de farinha sem fermento

50 g de manteiga vegetal

1 colher de sopa de concentrado de tomate

2 colheres de sopa de água fria

1 colher de chá de orégãos

2 colheres de chá de pimentão-doce

 

Preparação

 

Misturar a farinha, os orégãos e o pimentão-doce.
Juntar a margarina e misturar com a farinha até obter uma massa areada.
Adicionar o concentrado de tomate e a água a pouco e pouco até ter obter uma massa moldável.
Formar uma bola e guardar no frigorífico por meia hora.
Estender a massa com o rolo da massa o mais fino possível e cortar as bolachas da forma desejada.
Colocar as bolachas em cima do tabuleiro forrado com papel vegetal e picá-las com um garfo.
Levar ao forno aquecido a 180º durante cerca de 25 minutos.

 

IMG_20170305_142807-01

IMG_20170305_142655-01

IMG_20170305_142907-01

Cozinhar com (grão de bico)

Não vos preocupeis que não vou citar o provérbio popular tão famoso quando se fala em grão de bico, mas que nos enche o "papo", que nos sacia, lá isso é verdade. É um bom snack, para fugir aos que são industrializados/processados. Todos sabemos, e ninguém precisa de ser um expert em alimentação saudável para constatar que esses são uma verdadeira porcaria, na sua maioria estão cheios de sódio, gordura saturada, corantes e aromatizantes - o que não é bom para a saúde - até aqui estamos a concordar, certo? Para ficarmos todos (passo a pleonasmo) felizes e contentes, só vos resta fazer a receita e verificareis o quão bom (com o perigo de se tornar viciante) isto é! Eis a receita!

 

Ingredientes

 

2 palmos de grão de bico seco 

2 colheres de chá de pimentão doce

1 colher de chá alho em pó

1 colher de chá de orégãos

2 colheres de chá de azeite

1 colher de chá de mel

 

Preparação

 

Na noite anterior demolhar o grão de bico em água.
Cozer o grão de bico e secá-lo bem com papel toalha.
Numa tigela juntar todos os temperos e envolver bem o grão de bico.
Transferir o preparado para um tabuleiro, forrado com papel vegetal, e levar ao forno cerca de 30 minutos ou até estar crocante.
É importante ir mexendo e verificando o seu estado, para que não se queime.
Deixar arrefecer e guardar num frasco de vidro. 

 

IMG_20170201_115227-01

 

Cozinhar com (abacate)

Se és uma pessoa que gosta de cozinhar (e comer), provavelmente já começaste a pensar nas entradas para o jantar de dia 24... Ah pois, e se calhar já tens aí anotadas umas receitas todas finórias que viste no Masterchef Austrália mas que não vão passar disso, de receitas anotadas, porque requerem ingredientes que terias que importar do estrangeiro ou plantar/semear no Natal do ano passado. Ok, estais-me a dizer para não me preocupar convosco, ok.. eu respeito o vosso espaço, mas o que não digiro bem é que me digais, por exemplo, "logo se compra algo para desenrascar". Não, meus duendes, se é para desenrascar que não seja com algo comprado, mas sim com este guacamole caseirinho que vistes aqui ou no blogue do Alho Francês. Digo-vos.. quem ler nas entrelinhas consegue adivinhar o que vem aí.

 

Fiz a olho. Fazei também. Não há como errar.

 

Ingredientes

 

Abacate

Cebola branca

Lima

Pimenta preta moída na hora

Tomate maduro


Preparação

 

Não tem ciência nenhuma. Basicamente é pegar na polpa de um abacate bem maduro e esmagá-lo com um garfo juntamente com sumo de lima para que não fique escuro. Acrescentar cebola e tomate picado (sem sementes). Regar com mais um pouco de sumo de lima e servir bem fresco. Pode ser acompanho com nachos, tortillas, tostas ou até mesmo pão, é como preferireis.

 

IMG_20161220_161338-01

IMG_20161220_160604-01