Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cozinhar com

Venez j'vais vous aider. On descend et hot c'est parti - Amélie Poulain

Cozinhar com (figos)

Com a chegada do Outono (onde o meu nível de sobrevivência aumenta), volta também a vontade de permanecer mais tempo na cozinha e de ligar o forno! Volto na altura em que os figos se vão embora mas, mesmo assim, ainda venho a tempo de vos trazer uma receita com estes pequenos tesouros que pingam mel. Uma galette de figos embelezada com mais uma bonita ilustração da Ana (em breve).

 

 

Ingredientes 

 

Massa:

125 g de farinha sem fermento

125 g de farinha integral

115 g de manteiga fria aos cubos

1 ovo

30 g de açúcar amarelo

 

Recheio:

maçãs 

canela em pó

sumo e raspa de limão

doce de figo

figos 

 

Cobertura:

açúcar mascavado 

1 ovo batido

 

Preparação

 

Preparar a massa, misturando as farinhas, a manteiga, o açúcar e o ovo com a ajuda de uma colher de pau, e posteriormente das mãos, até estarem todos bem envolvidos.

Formar uma bola, cobrir com papel aderente e  reservar no frigorífico cerca de 30 minutos. 

Descascar as maçãs, retirar os caroços, cortar em fatias finas, polvilhar com canela e regar com sumo de limão. Reservar.

Transferir a massa para uma superfície enfarinhada e estender com o rolo da massa em forma de círculo.

Espalhar o doce de figo na massa deixando uma borda da grossura de 2 dedos.

Por cima colocar as maçãs e os figos. Dobrar a borda para cima, formando um embrulho.

Pincelar as galettes com ovo batido e polvilhar com açúcar mascavado e raspa de limão.

Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC cerca de 45 minutos ou até ficar dourada.

 

 

2017-08-27 10.36.06 1

2017-08-27 10.36.03 1

IMG_20170827_105401

IMG_20170827_105555

Cozinhar com (amêndoas)

Antes de torcereis o nariz, experimentai! Toda a gente prega (e bem) que devemos consumir legumes e que os mesmos devem fazer parte da nossa alimentação para que assim esta seja saudável e equilibrada. Nunca é demais realçar a sua importância, e voltar a pregar, pois não? Apresentá-los em diferentes confeções e misturar com os alimentos preferidos de quem não é adepto de legumes é uma forma mais fácil de os introduzir na alimentação diária. Este bolo é exemplo! E na altura da compra? Podeis (e deveis) sempre escolher os legumes da época - como é o caso da courgette - que são mais ricos nutricionalmente. Porém, e para enriquecer as refeições com cor e variedade, todos os outros também deve fazer parte. Segundo um estudo realizado em abril deste ano, 74% dos consumidores portugueses têm preferência por fruta e vegetais nacionais, sendo que a razão major para tal escolha é "ser uma forma de ajudar a impulsionar o comércio local". Já diziam os outros.. "o que é nacional (e acrescento, da época) é bom".

 

Ingredientes 

¾  de chávena de amêndoas picadas (previamente torradas)

⅓ de chávena de azeite

de chávena de geleia de arroz

2 ovos

½ chávena de bebida de amêndoa

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 colher de chá de canela + canela para polvilhar 

1 pitada de noz moscada

1 + ½ chávena de courgette ralada

1 + ¾  de chávena  de farinha integral

 

Preparação

 

Numa taça juntar o azeite com a geleia de arroz e misturar tudo muito bem.

Acrescentar os ovos e a bebida de amêndoa e voltar a misturar.

De seguida adicionar a courgette ralada, ligeiramente escorrida, e envolver no preparado.

Juntar os ingredientes secos: farinha, bicarbonato e especiarias, envolvendo cuidadosamente com a espátula até obter uma massa homogénea.

Por fim, misturar as amêndoas.

Levar ao forno pré-aquecido a 170ºC, numa forma de bolo inglês durante cerca de 50/60 minutos ou até o palito sair seco.  

Retirar do forno e deixar arrefecer, dentro da forma cerca de 10 minutos. Quando retirado da forma deixar arrefecer completamente sobre uma grelha.

 

2017-08-14 03.06.59 1

2017-08-14 03.05.12 1

2017-08-14 03.07.01 1

Cozinhar com (mozzarella)

Num dos meus scrolls pelo Instagram passei por mais uma ilustração do projeto Lingvistov, que diz "I eat pizza because you are what you eat and I want to be the best thing ever" - obviamente que me ri pois, como já sabeis não sou uma grande apreciadora de pizza, porém quando esta é feita em casa torno-me um bocadinho mais. Mas sim, é mesmo verdade - nós somos aquilo que comemos! Tudo aquilo que ingerimos afeta o nosso organismo, o modo como este funciona, o seu aspeto e o seu bem-estar, ou seja, pode-nos tornar a melhor coisa de sempre ou não, tudo depende de nós.

 

Ingredientes 

 

Para a massa:

200 g de farinha de trigo sem fermento

100 g de farinha integral

1 saqueta (11g) de fermento de padeiro

3 colheres de sopa de azeite 

180 ml de água morna

 

Para o recheio:

presunto em fatias finas

mozzarella

rúcula

concentrado de tomate 

orégãos

azeitonas pretas

fio de azeite

 

Preparação

 

Colocar as farinhas numa taça, juntamente com o fermento e misture. Adicionar o azeite, e vá colocando a água morna aos poucos. Amassar até  ficar homogénea e despegar das mãos; se necessário, acrescentar mais farinha ou água.

Formar uma bola, cubrir a massa com um pano e deixar descansar num local seco por 30 minutos (ou mais), até aumentar de tamanho.
Assim que a massa crescer, abrir com o auxílio de um rolo, deixando-a em formato de disco.
Dispor a massa numa assadeira e reservar.
Pré-aquecer o forno a 210ºC.
Primeiramente cubrir a base da pizza com uma boa camada de concentrado de tomate, de seguida polvilhar com orégãos, partir a mozzarella e as azeitonas às fatias e dispôr aleatoriamente pela pizza. 
Levar a pizza ao forno durante cerca de 30 minutos ou até a massa estar firme.
Retirar do forno e acrecentar o presunto, a rúculo e um fio de azeite. 

 

2017-08-13 14:24:45 

IMG_20170716_192935

 

IMG_20170716_192849

 

IMG_20170719_102730