Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cozinhar com

Venez j'vais vous aider. On descend et hot c'est parti - Amélie Poulain

Cozinhar com (hortelã-menta)

Fã assumidíssima de tudo o que sejam ervas para aromatizar e comer, o blogue não seria o mesmo se não tivesse uma receita onde a hortelã-menta imperasse. Não, não impera de modo a ficar exageradamente a saber a menta, mas impera subtilmente, tal como eu gosto. Ficaram exatamente com a quantidade que pretendia, de modo a conferir apenas a frescura característica desta erva, que também ajuda a equilibrar a doçura da bolacha. Recomendo a que experimenteis fazer estas bolachas, até porque, desta vez foram mais pessoas a prová-las e aprová-las, portanto é sinal que valem a pena. 

 

Ingredientes (rende 20 bolachas)

 

½ chávena de açúcar mascavado

¼ chávena de açúcar branco

¼ chávena de manteiga vegetal à temperatura ambiente

¼ chávena óleo de côco derretido

1 ovo

1 chávena mal cheia de farinha integral

½  chávena mal cheia de farinha com fermento

¼ chávena de cacau magro em pó

1 colher de sopa de bebida vegetal 

cerca de 20 folhas de hortelã-menta, finamente picadas 

 

Preparação

 

Numa tigela grande juntar os açúcares com a manteiga, o óleo e o ovo e mexer até ficar tudo bem misturado.
Noutro recipiente misturar as farinhas com o cacau.
Adicionar a mistura de farinhas pouco a pouco aos ingredientes húmidos e envolver tudo.
Juntar as folhas de hortelã-menta e envolver na massa.
Formar bolinhas, mais ou menos do tamanho de bolas de ping-pong, colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal e com um garfo pressionar para ficarem com formato de bolacha.

Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC durante 12 min.

 

Nota: quando saírem do forno vão estar um bocado moles mas depois de arrefecerem ficam um pouco mais durinhas.

 

IMG_20170402_142045-01

IMG_20170402_142131-01

Cozinhar com (gengibre)

Já disse para mim "Estefânia, só vais procurar novas receitas quando experimentares todas as que já tens". Isto porquê? Porque tenho imensas receitas soltas por fazer. Pois é, estão todas escritas em papéis que apanho pelo caminho, à espera de serem concretizadas, para depois habitarem, tranquilas da vida, o caderno de receitas. O primeiro passo, e fulcral na minha opinião, é adaptá-las sempre ao meu gosto que, por vezes, teima em ser bastante peculiar. E o vosso? Marcha tudo ou "engrunhais" o nariz a muita coisa? Pois bem, apontai esta receita num papelinho que esteja à mão e depois logo me direis.

 

Ingredientes

 

300 g de farinha sem fermento

1 colher de chá de fermento em pó

1 colher de chá de canela em pó

1 colher de chá de gengibre em pó

1 colher de sopa de cacau magro em pó

80 g de azeite

2 ovos

2 colheres de sopa de açúcar mascavado

2 colher de sopa de geleia de arroz

 

Preparação

 

Numa taça grande colocar a farinha, o fermento, as especiarias e o cacau.
Noutra taça bater os ovos com o açúcar, o azeite e a geleia de arroz .

Fazer uma cova nos ingredientes secos e misturar os líquidos.
Amassar bem até que fique tudo ligado.
Formar uma bola com a massa e levar, envolvida em papel aderente, ao congelador cerca de 10 minutos.
Ao fim desse tempo retirá-la do congelador e, com a ajuda de um rolo polvilhado com cacau em pó, estendê-la sob uma folha de papel vegetal até atingir a espessura desejada para as cortar.
Levá-las ao forno pré-aquecido a 180ºC cerca de 15 minutos.
Devem ser arrefecidas sob uma grelha de modo a que mantenham a crocância e, só depois de completamente arrefecidas, guardadas num frasco fechado.
 

IMG_20170114_160131-01

IMG_20170114_160218-01

Cozinhar com (tâmaras e alguém a fotografar)

Esta publicação contém mais fotografias que o habitual, porque a fotógrafa não fui eu - foi a Celine, já vossa conhecida, não fosse ela uma rapariga talentosa. Assim, na minha opinião, esta publicação tem tudo para ter qualidade, não só nas fotografias, mas também pelo resultado: umas bolachas de tâmaras, canela e gengibre.

Não gostaríeis de ter sempre à mão de semear um frasco com bolachas saudáveis? Atire a primeira bolacha quem não.. Eu cá, gostava, tanto foi que, dei por mim, literalmente, com as mãos na massa. Garanto-vos que, apesar de um bocado demoradas, no fim.. No fim valerá tanto a pena. que ides ficar a pensar - Porquê raios é que não fiz bolachas na quantidade "exército"? - mas não lamenteis mais, porque a receita não sai daqui, só o frasco é que fica vazio num instante.

 

Ingredientes

 

220 g de farinha de aveia

60 g de nozes

150 g de tâmaras sem caroço

2 colheres de sopa de azeite

80 ml de bebida de soja

1 colher de sopa de canela

2 colheres de chá de gengibre em pó

1 colher de chá de fermento químico

 

Preparação

 

Primeiro colocar as tâmaras no processador (se estiverem muito secas demolha-as um bocadinho) e triturar até virar uma pasta.
Acrescentar as nozes e triturar outra vez.
Transferir a mistura anterior para um recipiente e juntar a farinha de aveia, as especiarias, o fermento, o azeite e a bebida de soja e amassar tudo muito bem até ficar tudo envolvidinho e com uma textura maleável (se estiver muito seca adiciona mais bebida de soja, se estiver muito molhada adiciona mais farinha de aveia).
Fazer uma bola com essa massa e coloca-lá entre duas folhas de papel vegetal (que assim não cola tanto) e com a ajuda de um rolo ir estendendo (com o rolo por cima da folha de papel vegetal) até obter uma espessura como aparece nas fotografias.
Agora só resta cortar as bolachas com a ajuda dos cortadores e levar ao forno pré aquecido a 180°C durante 15/20 minutos ou até estarem douradas - é necessário ir verificando para que não queimem.
E por fim, retirá-las do forno e deixá-las arrefecer numa grelha para que assim fiquem crocantes.

 

estefania_cozinhacom_01_1Untitled design

BRACE20161202_0127

estefania_cozinharcom (2)

estefania_cozinharcom (7)

Untitled design

estefania_cozinharcom (13)