Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cozinhar com

Venez j'vais vous aider. On descend et hot c'est parti - Amélie Poulain

Cozinhar com (abóbora)

A febre "querer fazer mil e uma coisas com abóbora" - conheceis? Estatísticas, inventadas por mim, dizem que 9 em cada 10 pessoas sofrem desta febre quando vêem imensas abóboras espalhadas pelos campos e eu, nelas me incluo. A este facto alia-se o não querer desperdiçar nada, no entanto, por vezes torna-se inevitável.. se bem que o nosso "desperdício" é sustentável pois, caso não consigamos dar vazão à quantidade que o campo nos oferece, servirão certamente como alimento super nutritivo para as galinhas - as sortudas! E já que falo em desperdício alimentar gostaria de partilhar convosco, caso ainda desconheçais, o podcast da Cláudia - o Officina, onde entre muitos outros assuntos, podereis encontrar um minisódio dedicado a este mesmo tema e ainda ficar com 10 dicas fáceis (e preciosas) para o minimizar. 

 

Ah! Sugiro-vos ainda que façais estes mini pães doces e vos delicieis tanto a fazê-los como depois a comê-los, mas atenção com moderação, até porque certamente não ides querer que eles acabem rapidamente, portanto é fazer render o o pão, neste caso.

 

Ingredientes 

2 ovos (um para a massa e outro para pincelar)

130 g de puré de abóbora

1 pau de canela

1 estrelas de anis

40 g de manteiga derretida

200 ml de bebida vegetal (usei de amêndoa e aveia)

50 de açúcar amarelo

1 saqueta (9g) de fermento padeiro granulado

290 g de farinha de trigo sem fermento

190 g de farinha de trigo integral

1 colher de chá de sal

raspas de laranja

açúcar mascavado para polvilhar

 

Preparação

 

Começar por cortar a abóbora aos pedaços e cozer juntamente com um pau de canela e uma estrela de anis. Ao estar cozida, retirar a canela e o anis e  escorrer muito bem. Com a ajuda de uma varinha mágica triturar até obter um puré (se desejareis podeis deixar escorrer mais um bocadinho num passador, pois a abóbora liberta muita água).

Num recipiente grande juntar o fermento, o açúcar, o ovo, a bebida vegetal, a manteiga derretida e o puré de abóbora e com a ajuda de uma espátula misturar tudo muito bem. De seguida, acrescentar o sal e as farinhas peneiradas e com a batedeira (com os ganchos de bater massa) misturar todos os ingredientes até ficar uma massa homogénea. Deixar descansar 5 minutos e voltar a bater. Cobrir com película aderente e deixar levedar 1h.

Após 1h, enfarinhar uma superfície (e também as mãos) e dividir a massa em 10 porções formando pequenas bolas e recortando-as com a ajuda de uma tesoura. Colocar as bolas num tabuleiro de forno forrado com papel vegetal, cobrir com um pano e deixar levedar por mais 1h.

Pincelar com ovo e polvilhar com raspa de laranja e açúcar mascavado e levar ao forno pré-aquecido a 180ºC durante cerca de 30 minutos ou até ficarem dourados.

 

IMG_20171203_092137

IMG_20171203_092057

Cozinhar com (tofu)

Quem é vivo sempre aparece! 
Se estáveis à espera que este interregno trouxesse grandes mudanças visuais aqui para o blogue.. não vai acontecer!
Se estáveis à espera que este interregno trouxesse novas rubricas.. também não vai acontecer!
Pois é, esta interrupção só se deveu ao facto de eu ter tido as provas de habilitação profissional para a Ordem dos Nutricionistas e trazer comigo a sua aprovação e consequentemente a transição de membro estagiário para membro efetivo.

Esta receita não se trata de qualquer transição de regime alimentar, mas sim uma forma de trazer mais variedade à minha alimentação. Porque não incluirmos na nossa semana algumas refeições vegan/vegetarianas? Digo-vos já que este pequeno passo é uma ótima forma de aumentar o consumo de hortofrutícolas e leguminosas, muitas vezes menosprezadas apesar do seu interessante perfil nutricional.

 

O desafio está aceite?

 

 

Ingredientes 

tofu fresco 

azeite

açafrão das índias

pimenta preta

molho de soja

sumo de limão

alho em pó

folhas de louro

cebola

alho-francês

cenoura ralada

azeitonas

batata frita palha

ramos de salsa

 

Preparação

 

Começar por cortar o tofu aos pedaços e colocá-lo numa marinada de molho de soja, sumo de limão e especiarias. Desfazer com um garfo e deixar repousar.  

Cortar a cebola e o alho francês às rodelas e ralar a cenoura.

Numa frigideira anti-aderente colocar um fio de azeite e deixar alourar a cebola juntamente com umas folhas de louro. Quando a cebola estiver dourada, retirar as folhas de louro e acrescentar os legumes, deixando-os cozinhar.

Adicionar o tofu esmagado e deixar cozinhar por mais uns minutos.

Quando tudo estiver cozinhado acrescentar a batata frita palha e envolver.

Decorar com azeitonas e salsa.

 

2017-11-26 04.46.50 2

IMG_20171126_152705

Cozinhar com (maracujá)

Aconteceu. O quê? Eu transformar a frase "envolver a farinha na massa" em  "juntar a farinha e bater bem". E que mais? Pois bem, quando isto acontece temos um bolo enqueijado a sair do forno mas, na minha opinião, não menos bom (eu até gosto desta consistência). Quem nunca, que atire a primeira fatia (só depois de uma trinca)! A razão, mais ou menos científica, para tal é: quando existe uma mistura de ovos e açúcar ou manteiga e açúcar, essa sim, deve ser batida muito bem para que os elementos se misturem devidamente e assim formem uma boa emulsão. Contudo, a Dona Farinha não deve ser batida mas apenas envolvida , senão corremos o risco de  lhe desenvolver o glúten e o bolo pode ficar mais elástico do que fofo e muitas vezes ficar com uma textura "enqueijada". Também muitas vezes ao bater demasiado a massa pode potenciar outro problema, esta ficar com muito ar, crescer no forno e depois de cozido abater porque não tem estrutura para aguentar o seu próprio peso. 

Aqui, nasceu um bolo enqueijado por engano. Aqui, se devorou até à ultima migalha.

 

 

Ingredientes 

100 g de manteiga à temperatura ambiente

½ chávena de açúcar amarelo

3 ovos

1 chávena de buttermilk (1 chávena de leite + 1 colher de sopa de sumo de limão)

2 chávenas de farinha de trigo

1 colher de chá de fermento químico

 

Xarope de macacujá:

200 ml de polpa de maracujás frescos

½ chávena de açúcar amarelo

½ chávena de água

 

Preparação

 

Começar por preparar o xarope: retirar a polpa dos maracujás até obter 200 ml. Colocar numa panela com os restantes ingredientes e levar ao lume até ferver. Reduzir o lume e deixar cozinhar uns 15 minutos, até formar um género de xarope. Deixar arrefecer e reservar.

Numa taça colocar a manteiga e o açúcar e bater bem com a batedeira eléctrica até ficar bem cremoso e claro. Adicionar os ovos um a um e bater bem entre cada adição.

Juntar o buttermilk e mexer bem. Juntar a farinha e o fermento e bater bem na massa até ficar homogénea.

Colocar a massa numa forma untada e polvilhada com farinha e levar ao forno pré-aquecido a 180ºC, até cozer (teste do palito).

Desenformar e picar o bolo todo com um palito e regar o bolo com o xarope. 

 

IMG_20170923_181126

IMG_20170923_180848IMG_20170923_181046